Escrito por Fernando Amaral on December 1, 2008

Dead Space

O espaço é um local solitário e assustador. Porém, também é belo e fascinante. Dead Space é assim, um jogo de terror que ora nos deslumbra, ora nos faz saltar do sofá. Este não é apenas mais um survival horror, é um jogo que consegue inovar e surpreender, ao mesmo tempo que prende o jogador a uma história interessante.

O melhor é cortar-lhe as pernas!
O melhor é cortar-lhe as pernas!

O enredo faz lembrar alguns grandes filmes de ficção cientifica, como 2001 ou Alien. Uma estação espacial deserta, um planeta misterioso e monstros com fartura. Controlamos Isaac Clarke, um engenheiro enviado para reparar o sistema de comunicações, mas que rapidamente se vê obrigado a fazer muito mais que isso. Jogamos sempre com uma visão na terceira-pessoa, que funciona na perfeição.

O maior mérito da Electronic Arts foi ter colocado tudo no sítio certo. Desde o indicador de munições nas próprias armas, à nossa saúde visível no fato, passando pelas comunicações, o mapa, as lojas, os locais para save, os upgrades às armas, etc… tudo foi pensado ao pormenor e executado de forma irrepreensível. A interface entre Dead Space e o jogador é das melhores e mais originais que vi nos últimos anos, rompendo com muitos clichés desactualizados. 

Outro aspecto único em Dead Space é o modo como matamos a maioria dos monstros. Se gostam de headshots certeiros, ou de rajadas de tiros no peito, esqueçam tudo isso. A melhor maneira de matar estes bichos é arrancando-lhes os membros. Ao cortarem uma perna, além de o ferirem mortalmente, reduzerm imediatamente a sua capacidade de movimento. Depois é só dar o golpe final. Como as munições são um bem precioso, vão mesmo ser obrigados a treinar a pontaria.

Vale a pena parar e admirar o cenário.
Vale a pena parar e admirar o cenário.

Os aliens mais comuns assemelham-se a humanos, mas há espécimes de todas as formas. Dos mais pequenos rastejantes, aos gigantescos e aterradores. Existem armas e estratégias mais adequadas a cada tipo de alien. Além do arsenal que temos ao nosso dispor, há duas habilidades essenciais. Stasis é um recurso limitado, que permite retirar velocidade a objectos e criaturas. É muito útil quando estamos a ser atacados por ondas de aliens velozes. Temos também a capacidade de mover certos objectos sem lhes tocar, como se fossemos um autêntico cavaleiro Jedi. 

Ao longo do nosso caminho vamos ter que atravessar áreas onde não há gravidade. Nestas zonas a jogabilidade sofre uma transformação radical, que resulta em pleno. Descobrir o melhor caminho num ambiente de gravidade zero torna-se num puzzle curioso. Há também locais onde o vácuo obriga a uma gestão do oxigénio disponível. A luta contra o tempo de oxigénio restante, aumenta (ainda mais) a tensão destes momentos. Estes desafios ajudam a garantir que o jogo não se torna repetitivo.

Apesar de termos um mapa e objectivos bem definidos, podemos a qualquer momento activar uma linha que nos indica o melhor caminho a seguir. Assim é praticamente impossível ficarmos bloqueados ou perdidos em algum momento do jogo por não sabermos o que fazer.

Não olhes para trás agora...
Não olhes para trás agora…

As armas podem ser melhoradas em locais próprios para esse efeito. No entanto temos que usar os preciosos e raros power nodes. O sistema está feito de uma forma que nos obriga a planear cuidadosamente onde vamos investir os power nodes que temos.  

Os gráficos de Dead Space são fantásticos e criam um ambiente que vai ficar na memória de quem o jogar. Além de ser um espectáculo visual, tudo corre suavemente, sem qualquer problema técnico. Qualquer fã de ficção cientifica vai ficar maravilhado com as imagens que Dead Space nos oferece. Num jogo de terror, o som tem um papel fundamental. Também nesta área Dead Space impressiona pela positiva. Mesmo quando estamos sozinhos, não deixamos de ouvir ruídos assustadores emitidos por criaturas que nunca andam muito longe. O ambiente resultante é perfeito para horas de jogo e muitos sustos pela noite fora.

A Electronic Arts está de parabéns por mais este grande jogo. Dead Space aproveita tudo o que há de bom nos géneros do terror e da ficção cientifica, e acrescenta novidades suficientes para criar algo único. Quem jogar Dead Space, arrisca-se a ter pesadelos fantásticos durante algum tempo… 

9

Comprar o Dead Space no eBay

Comentar

2 Responses to “Dead Space”

  1. luciney says:

    jogo muito bom parabens pra quem fez…

  2. Fábio Moraes says:

    O jogo é excepicional!
    Tenho também Resident Evil 5 e com certeza o Dead Space é muito melhor, só faltou a grife. Tem que ter o Dead Space 2!

Comentar